A HARMONIZAÇÃO DOS PADRÕES CONTÁBEIS INTERNACIONAIS NO CONTEXTO DA GLOBALIZAÇAO E SUA EVOLUÇAO NO BRASIL

Danival Sousa Cavalcante, Augusto Cézar de Aquino Cabral, Valter de Souza Pinho, Mário José Azevedo

Resumo


O fenômeno da globalização, em grande medida, implica a homogeneização de estratégias e práticas, em busca de maior eficiência e/ou legitimidade. No contexto atual, diversos tipos de organizações inserem-se no mercado global. Todas assumem, assim, a obrigação de prestar contas acerca de suas operações e resultados, para um amplo conjunto de stakeholders. Neste cenário, a contabilidade assume papel informacional estratégico, através de técnicas que retratem a posição econômica e a financeira das organizações para os diversos usuários. Verifica-se, porém, um paradoxo, pois, apesar da necessidade de os relatórios contábeis serem cada vez mais globalizados, cada país tem práticas contábeis próprias. O estudo tem como objetivo analisar a relação entre a globalização e o processo de harmonização contábil internacional. A metodologia alinha-se ao modelo de compilação, quando se busca compulsar criticamente parte significativa da literatura pertinente disponível e expô-la de forma clara. Conclui-se que a globalização atua como mecanismo de isomorfismo. O início do processo de harmonização contábil se deu sob o choque da globalização, no início da década de 1990. Como sistema normativo, a governança corporativa constitui, também, um mecanismo de isomorfismo, contribuindo para a convergência das normas contábeis.

Palavras-chave


Globalização. Harmonização contábil internacional. Isomorfismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ANEEL (AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA). Despacho ANEEL nº 4.796, de 24 de dezembro de 2008. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 26 dez. 2008a, seção 1, p. 152, v. 145, n. 251.

______. Ofício-Circular nº 2.775, de 24 de dezembro de 2008. Brasília: ANEEL, 24 dez. 2008b.

ARMSTRONG, C.; BARTH, M. E.; JAGOLINZER, A.; RIEDL, E. J. Market reaction to events surrounding the adoption of IFRS in Europe. Working paper: Harvard Business School and Stanford University, 2007.

BACEN (BANCO CENTRAL DO BRASIL). Comunicado BACEN nº 14.259, de 10 de março de 2006. Comunica procedimentos para a convergência das normas de contabilidade e auditoria aplicáveis às instituições financeiras e às demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil com as normas internacionais promulgadas pelo International Accounting Standards Board (IASB) e pela International Federation of Accountants (IFAC). Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 13 mar. 2006.

BARTH, Mary. Global financial reporting: implications for U.S. The Accounting Review, Vol. 83, No. 5, September, pp. 1159−1180, 2008.

BERTERO, Carlos Osmar. Nota Técnica: da internacionalização à globalização na perspectiva brasileira. In: CLEGG, S., HARDY, C.; NORD, W. (Org.). Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. p. 432-434.

BRASIL. Lei nº 11.638, de 28 de dezembro de 2007. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e da Lei no 6.385, de 07 de dezembro de 1976, e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e divulgação de demonstrações financeiras. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 28 dez. 2007. 186º da Independência e 119º da República.

______. Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. Altera a legislação tributária federal relativa ao parcelamento ordinário de débitos tributários; concede remissão nos casos em que especifica; institui regime tributário de transição. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 28 mai. 2009.

______. Medida Provisória 449, de 03 de dezembro de 2008. Altera a legislação tributária federal relativa ao parcelamento ordinário de débitos tributários, concede remissão nos casos em que especifica, institui regime tributário de transição, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 4 dez. 2008 e retificado em 12 dez, 2008. 187º da Independência e 120º da República.

______. Projeto de Lei nº 3.741, de 08 de novembro de 2000. Altera e revoga dispositivos da Lei no 6.404, de 15 de dezembro de 1976, define e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e publicação de demonstrações contábeis e dispõe sobre os requisitos de qualificação de entidades de estudo e divulgação de princípios, normas e padrões de contabilidade e auditoria como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público. Brasília, 08 nov.2000.

CABRAL, Augusto C. A. Histórias de aprendizagem: um estudo de caso no setor de telecomunicações. Belo Horizonte, 2001. 301 p. Tese (Doutorado em Administração). Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Minas Gerais.

CARRIER, J. (Ed.). Meanings of the market: the free market in western cultures. Oxford: Berg, 1997.

CFC (CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE). Resolução CFC nº 1.055, de 24 de outubro de 2005. Cria o Comitê de pronunciamentos Contábeis (CPC), e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 24 out. 2005.

______. Resolução CFC nº 1.103, de 28 de setembro de 2007. Cria o Comitê Gestor da Convergência no Brasil, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 5 out. 2007.

______. Resolução CFC nº 1.152, de 23 de janeiro de 2009. NBCT 19.18 - Adoção Inicial da Lei 11.638/07 e MP 449/08. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 27 jan. 2009.

COVRIG, V. M.; DEFOND, M. I.; HUNG, M. Home bias, foreign mutual fund holdings, and the voluntary adoption of international accounting standards. Journal of Accounting Research, 45, 41−70, 2007.

CPC (COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS). Pronunciamento Técnico CPC nº 13, de 5 de dezembro de 2008. Adoção inicial da lei nº 11.638/2007 e da medida Provisória nº 449/08. Brasília: CPC, 5 dez. 2008.

CVM (COMISSÃO DE VALORES IMOBILIÁRIOS). Anteprojeto de Reformulação da Lei Nº 6.404/76. Altera e revoga dispositivos da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, define e estende às sociedades de grande porte disposições relativas à elaboração e publicação de demonstrações contábeis, dispõe sobre os requisitos de qualificação de entidades de estudo e divulgação de princípios, normas e padrões de contabilidade e auditoria, como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, e dá outras providências. Brasília, CVM, 05 jul.1999.

______. Instrução CVM nº 457, de 13 de julho de 2007. Dispõe sobre a elaboração e divulgação das demonstrações financeiras consolidadas, com base no padrão contábil internacional emitido pelo International Accounting Standards Board – IASB. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 16 jul. 2007.

______. Deliberação CVM nº 565, de 17 de dezembro de 2008. Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 13 emitido pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis que trata da Adoção Inicial da Lei nº. 11.638/07. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 22 dez. 2008.

DICKEN, Peter. Global shift: transforming the world economy. London: Paul Chapman, 1998.

DIMAGGIO, P.; POWELL, W. The iron cage revisited: institutional isomorphism and collective rationality in organizational fields. American Sociological Review, v. 48, pp. 147-160, 1983.

ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1991.

EELLS, R.; WALTON, C. Conceptual foundations of business. Homewood, Ill: Richard D. Irwin, Inc., 1961.

IASB (INTERNATIONAL ACCOUTING STANDARDS BOARD). About Us. Disponível em: . Acesso em: 29 mai. 2009.

IBGC - INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Código brasileiro das melhores práticas de governança corporativa. 4.ed. São Paulo: IBGC, 2009. Disponível em . Acesso em: 10 de março de 2010.

IBRACON (INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORES INDEPENDENTES). Comunicado Técnico nº 01, de 19 de janeiro de 2009. Emissão de Parecer dos Auditores Independentes sobre o exame das primeiras demonstrações contábeis elaboradas de acordo com as novas práticas contábeis adotadas no Brasil trazidas pela Lei no 11.638/07, Medida Provisória 449/08 e pelos Pronunciamentos contábeis editados pelo CPC. São Paulo: IBRACON, 19 jan. 2009.

______. Norma de Procedimentos Contábeis nº 27, de 29 de dezembro de 2005. Demonstrações contábeis: apresentação e divulgações. São Paulo: IBRACON, 03 dez. 2005.

IFRS ANNUAL REPORT 2010. Report of the chairman of the IASB. Disponível em: . Acessado em 10 de junho de 2011.

NOBES, C. The survival of international differences under IFRS: toward a

research agenda. Accounting and Business Research, 36(3), 233−245, 2006.

NYIAMA, Jorge Katsumi. Contabilidade internacional. São Paulo: Atlas, 2005.

OHMAE, K. The borderless world. New York: Collins, 1990.

______. The end of the nation state. New York: Free Press, 1995.

PARKER, Barbara. Evolução e revolução: da internacionalização à globalização. In: CLEGG, S., HARDY, C.; NORD, W. (Org.). Handbook de estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 1998. p. 398-431.

PALPACUER, F.; TOZANLI, S. Changing governance patterns in European food chains: the rise of a new divide between global players and regional producers. In: Transnational Corporations, vol.17, no.1, pp. 69-98, Genebra: Unctad, April 2008.

PITELIS, C. Transnationals, international organization and deindustrialization. Organization Studies, v. 14, n. 4, pp. 527-548, 1993.

REZAEE, Zabihollah; SMITH, L. Murphy; SZENDI, Joseph Z. Convergence in accounting standards: insights from academicians and practitioners. Advances in Accounting, v. 26, n. 1, p.142-154, jun., 2010.

ROBERTSON, Roland. A globalização: teoria social e cultura global. Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

ROSSETTI, J. P.; ADORNO M. M.. Uma introdução à governança corporativa nas empresas familiares. In: MELO, M.; MENEZES, P. L. (organizadores). Acontece nas melhores famílias: repensando a empresa familiar. São Paulo: Saraiva: Virgília, 2008.

SALOMON, Délcio V. Como fazer uma monografia. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

SAUDAGARAN, S. M. International accounting: a user perspective. Thompson Learning, 2001.

SOMBART, W. The quintessence of capitalism. London: T. Fischer Unwin, 1915.

STIGLITZ, J. A globalização e seus malefícios: a promessa não-cumprida de benefícios globais. São Paulo: Futura, 2002.

SUSEP (SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS). Circular SUSEP nº 357, de 26 de dezembro de 2007. Dispõe sobre o processo de convergência às normas internacionais de contabilidade. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 27 dez. 2007.

______. Circular SUSEP nº 379, de 19 de dezembro de 2008. Dispõe sobre alterações das Normas Contábeis a serem observadas pelas sociedades seguradoras, resseguradoras, sociedades de capitalização e entidades abertas de previdência complementar, instituídas pela Resolução CNSP nº 86, de 3 de setembro de 2002. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 23 dez. 2008.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1967.

WEISS, L. The myth of the powerless state. New York: Cornell University Press, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.25190/rec.v1i1.1285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 Revista Expressão Católica

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


ISSN: 2357-8483

Revista Associada
Indexadores
Área de Avaliação Qualis | Quadriênio 2013-2016 Classificação
Administração pública e de empresas, ciências contábeis e turismo. B5
Educação. C
Filosofia. C
Ciências Biológicas II C
Direito B5
Ensino B5
Interdisciplinar C
Letras/Linguística C
Psicologia B5
Saúde coletiva C
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.