A VERSÃO DE SENTIDO NA CLÍNICA GESTÁLTICA: UM RELATO DA APREENSÃO DO MÉTODO PELO PSICOTERAPEUTA INICIANTE

Ana Caroline Costa, Izaú Araújo Mateus, Gilmar Ferreira dos Santos

Resumo


Os diversos modelos de registro das sessões psicoterápicas adotados são em sua maioria, fatuais e objetivados, o que não facilita a leitura fenomenológica do processo. A partir desta problemática, no contexto da abordagem Gestáltica, se apresentou um relato de experiência do estágio profissionalizante em clínica para adultos da Faculdade Católica de Quixadá quanto à apreensão do método da Versão de Sentido. Teve-se por objetivo relatar o processo de aprendizagem deste método de registro nos estagiários. Utilizou-se metodologia qualitativa a partir de uma leitura fenomenológica das Versões de Sentido. Trata-se de um instrumento e um método de descrição da experiência imediata do psicoterapeuta escrito de forma sintética após a sessão com o cliente. Entendeu-se que sua apreensão pelo psicoterapeuta é gradual e compreendida como um processo de aprender a se dissuadir da influência e do viés positivista e racionalista no registro das sessões. Compreendeu-se que não se trata de aprendermos uma técnica ou um método simplesmente, e, muito além de uma aprendizagem simplesmente mimética, é um processo que exige autoconhecimento.

Palavras-chave


Versão de Sentido. Gestalt-terapia. Fenomenologia. Existencialismo.

Texto completo:

PDF

Referências


AMATUZZI, M. M. Versão de Sentido. In: AMATUZZI, M. M. Por uma Psicologia Humana. Campinas, SP: Alínea, 2001.

BORIS, G. D. J. B. Versões de Sentido: um instrumento fenomenológico-existencial para a supervisão de psicoterapeutas iniciantes. Revista Psicologia Clínica. vol. 20, n.1, p.165 – 180, Rio de Janeiro, 2008.

HEIDEGGER, M. Introdução à Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 6.ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

MOREIRA, V. Más allá de la persona: hacia una psicoterapia fenomenológica mundana. Santiago: Editorial de La Universidad de Santiago de Chile, 2001.

SOKOLOWSKI, R. Introdução à Fenomenologia. São Paulo: Edições Loyola, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.25190/rec.v1i2.1295

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2012 Revista Expressão Católica

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


ISSN: 2357-8483

Revista Associada
Indexadores
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.