A HERANÇA TOTALITÁRIA NO MUNDO CONTEMPORÂNEO – UM ESTUDO EM HANNAH ARENDT

Deyvid Kardec Guerreiro Lima, Antonio Glauton Varela Rocha

Resumo


O artigo analisa as estruturas dos sistemas políticos atuais, a partir do pensamento de Hannah Arendt, de forma a encontrar sinais implícitos de processos de dominação herdados dos movimentos totalitários do século XX. Analisar e aprofundar os conceitos de totalitarismo e mal banal no pensamento político de Hannah Arendt, de modo a perceber a vinculação de políticas totalitárias com as atuais formas de governo (ainda que de modo implícito). Investigação filosófica a partir de levantamento bibliográfico e conceitual, como base para análise crítica de literatura primária e secundária de pontos relevantes ao tema da pesquisa. Destaca-se nessa pesquisa o estudo das obras As Origens do Totalitarismo, Eichmann em Jerusalém e A Condição Humana como eixos centrais para atingir os objetivos propostos. Para avançarmos no combate a todo tipo de totalitarismo e ataques à dignidade humana é preciso que revisemos o conceito de dominação política, de modo a percebermos que de modo dissimulado e através de uma série de manipulações, a maior parte da população mundial ainda tem a sua dignidade desrespeitada. Somente com esta percepção poderemos criar estratégias novas para enfrentar de modo mais eficaz o mal do totalitarismo.

Palavras-chave


Hannah Arendt. Totalitarismo. Banalidade do mal. Filosofia Política.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

AGUIAR, O. A.; PINHEIRO, C. de M.; FRANKLIN, Karen (Org.). Filosofia e Direitos Humanos. Fortaleza: Editora UFC, 2006.

AGUIAR, Odílio Alves. A Questão social em Hannah Arendt. In: Revista Transformação, São Paulo, v. 27, n. 2, 2004.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Tradução Roberto Raposo. 11. ed. rev. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011, p. 8.

______. Crises of the Republic. New York: Harcourt Brace Jovanovich, 1972.

______. Eichmann em Jerusalém. Tradução: José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

______. As Origens do Totalitarismo. Tradução: Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

______. The Origins of Totalitarianism. New York: Harcourt, Brace & World, 1968.

HEUER, Wolfgang. Debilidades da República Hoje. In: VAZ, C. A. C.; WINCKLER, Silvana (Org.). Uma Obra no Mundo: Diálogos com Hannah Arendt. Chapecó: Editora Argos, 2009.

SCHIO, Sônia Maria. Hannah Arendt: o mal banal e o julgar. In: Veritas, v. 56, n. 1, 2011.

SOUKI, Nádia. Hannah Arendt e a Banalidade do Mal. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.25190/rec.v2i2.1321

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2013 Revista Expressão Católica

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


ISSN: 2357-8483

Revista Associada
Indexadores
Área de Avaliação Qualis | Quadriênio 2013-2016 Classificação
Administração pública e de empresas, ciências contábeis e turismo. B5
Educação. C
Filosofia. C
Ciências Biológicas II C
Direito B5
Ensino B5
Interdisciplinar C
Letras/Linguística C
Psicologia B5
Saúde coletiva C
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.